sábado, 5 de maio de 2007

















Ele foi aonde

Eu não pude alcançar...

E escutou sons inefáveis,

Visões de anjos

E querubins...

Ele foi muito longe,

Meu bebê...

Flecha lançada do

Meu coração

Minha vida

Minha luz

Voa...

Voa alto Luquinha,

Voa sem medo...

Que um dia

Eu quero

Poder te acompanhar...


Carlos Maia

Junho/93.

6 comentários:

EdNiCe disse...

Até que fim!!!! Agora, fora do Orkut, teremos mais acesso ao que vai pela sua cabeça vindo do coração. Parabéns e adelante, compañero!

LIRIS LETIERES disse...

Ôba! Blog do poetamigo CARLOS!!!!
Mais uma casa (mesmo que virtual)pra visitar!
Bom...muito bom.
Abs,
Liris feliz com a novidade Letieres

Aline disse...

Enfim o blog do poeta!!! Coisa boa, Carlos! Já estava demorando demais para te ver nessa mídia também! Teus poemas são lindos, fantásticos e, realmente, mereciam um blogão!!!

Muitos beijos!!!

MARIAESCREVINHADORA disse...

Que poema doce, terno, lindo, amigo Carlos. O teu coração de pai transborda nesses versos. Parabéns!
Beijo,

Conceição.

gessiva disse...

lindas, tocam a alma!

francisca monica disse...

Carlinhos,amei seu blog,temos que invadir os espaços,oculpar e resistir !!!já ouvi isso antes!bjs e felicidades na sua trajetória!!!