sexta-feira, 25 de junho de 2010

O Meu Canto é de Sol - Joaquim Cardozo.


O meu canto é de sol. . .
É de verão florindo
Os jardins tropicais:
De túnicas vermelhas
Flamboyants cardeais!

O meu canto é de sol. . .
É de manhã nascente
Em profuso verão:
- Púrpuras de jambeiros
Atiradas no chão!

É de sol, é de sal
Desse mar nordestino
Suas cores abrindo
Como um pavão!

O meu canto é de sol!

4 comentários:

Luciana Amâncio disse...

E de sóis são os nossos cantos também!!! Muita luz, poeta!

Poeta Carlos Maia disse...

Muita Luz pra vc também, minha linda!
Beijo Grande!

Anônimo disse...

Carlos,

Vai um Joaquim Cardozo. Em homenagem a este Poeta, dramaturgo, engenheiro calculista, substimado pela crítica. Compõe o quarteto mágico dos poetas de nossa terra, ao lado de Bandeira, Cabral e Carlos Pena Filho.

Abraços do Arsenio

“AVES DE RAPINA

Há muitos anos que os caminhos se arrastavam
Subindo para as montanhas.

Percorriam as florestas perseguindo a distância,
Longos e lentos deslizavam nas planícies.

Passaram chuvas, passaram ventos,
Passaram sombras aladas…

Um dia os aviões surgiram e libertaram a distância,

Os aviões desceram e levaram os caminhos.”

Poeta Carlos Maia disse...

Obrigado, Arsênio!
Tá publicado!