terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sopra um vento em Pequim.
Árvores altíssimas respiram pássaros.
Entre eles é fácil ouvir o que sobra
do movimento dessa luz.
O vento me ergue pelos braços, me leva à copa
da mais alta árvore.
Agarrado aos galhos não sinto medo de nada.
Daqui de cima posso ver
que a esquina sopra com o vento.

E assim igual o vento,
passa minha vida,
entre a pedra e a flor.

Fernando Karl
In Esquina,China e Outros Poemas

Um comentário:

Flor ♥ disse...

Olá, querido amigo poeta!

este poema é mesmo muito lindo... deixo o meu carinho e votos de uma semana cheia de paz!

Bjs.