segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011


A realidade que eu vejo
Não serve para explicar
O que eu sinto.
Quero um milhão de sóis
De Van Gogh
A brilhar entre os corvos
Quero luas girando
Num campo de trigo
Quero a mais louca
Paz
De quem descobriu
Sua essência.
Num mundo de robóticos
E que só dizem
Sim
Eu quero ser
A placa de contramão!

Carlos Maia
31/01/11

Ilustração: Van Gogh

6 comentários:

Joffre disse...

Está de volta, o meu poeta maior, o meu poeta Maia... Grande abraço. Joffrinho.

Anônimo disse...

Poeta vc deveria registrar o autor da linda ilustracäo, isso é "blefe".

Poeta Carlos Maia disse...

Grande Joffrinho!!!

O erro está corrigido, amigo, a ilustração é de Van Gogh.

Grande Abraço!

Tadeu Rocha disse...

Saudades de tu Carlos. Liguei um dia desses pra ti, mas vc não estava. Forte abraço.

Poeta Carlos Maia disse...

Saudades de ti, também, Tadeu!
Amanhã, entre 17 e 18 hs estarei em casa. Manda teu número de telefone por e-mail pra mim, que eu perdi a minha agenda.

Grande Abraço!!!

Luciana Araújo Cavalcanti disse...

Carlos Maia...! Eis a força e a delicadeza de mais um poema com que nos brindas! Muito bom, amigo, ler você! Quase tão bom como conhecê-lo pra poder sentir saudades... por onde andas???