sábado, 9 de janeiro de 2010

Canção Antiga - Sérgio Leandro.

A canção antiga que não veio
Nas horas tristes da tarde
Adormeceu em teus olhos

A canção antiga que amei
Será inquieta, entregue ao vento,
Uma bandeira a tremular na noite

Um dia, para além de qualquer porto ou pátria,
Para além de todos os muros, grades
E fronteiras, os povos cantarão um só hino.

A canção que tarda
Arderá outra vez
Nos braços da alvorada...

E não será saudade
Porque nossas mãos e as falanges cansadas do crepúsculo
Tecerão unidas outras manhãs.

04/02/2009.

3 comentários:

gilmaria disse...

boas poesias
igual a vc
gente boa
bjo

Luciana Amâncio disse...

Carlinhos!!!! Quem é este poeta Sérgio Leandro????????Muitooo bom!!!!Adorei os poemas...!

Xeros em tu, poeta!!!

Poeta Carlos Maia disse...

Sérgio é um amigo meu, Lú. Mora aqui em Recife. Precisamos nos encontrar.

Beijos!