sexta-feira, 5 de março de 2010

O Máscara - Carlos Maia.

Esse Carlos Maia que vocês veem brincando
com um e com outro,
tirando onda o tempo todo,
é uma máscara que eu uso para poder
suportar a vida.
Na realidade, quando fico à sós
comigo mesmo no vazio do meu quarto
sou um sujeito insuportavelmente triste.
A vida pra mim atualmente não faz o mínimo sentido.
Uso essa máscara para não morrer,
o que causaria imensa tristeza aos meus
dois filhos e à minha mãe.
Essa máscara é a minha maior muleta,
além das drogas e do álcool.
É para mim insuportável ver a profunda tristeza
nos olhos dos meus filhos,
vendo o pai morrendo lentamente,
aliás nem tão lentamente assim,
eu acho que se continuar nessa pisada
não duro mais dois anos.
Morrerei ou de bala ou vício.
Vou a contra-gosto pra esse internamento,
o que eu gostaria realmente
era de ter muito dinheiro pra morrer
de uma overdose.
Um mês inteiro de sexo, drogas
e Rock and Roll.
Vou pelos meus filhos, por minha mãe
e por Luiza.

8 comentários:

Anônimo disse...

Carlos,
Deixe a autopiedade de lado.
Encare, por você, seus filhos, sua MÃE, seus amigos, enfim, por Deus.

Vá para o tratamento por você, em primeiro lugar.

Leia esse poema de Cassiano Ricardo, jogue fora essa máscara e tenha forças.
Você há de conseguir.
Abraços

Arsenio Meira

A rua


Bem sei que, muitas vezes,
O único remédio
É adiar tudo. É adiar a sede, a fome, a viagem,
A dívida, o divertimento,
O pedido de emprego, ou a própria alegria.
A esperança é também uma forma
De continuo adiamento.
Sei que é preciso prestigiar a esperança,
Numa sala de espera.
Mas sei também que espera significa luta e não, apenas,
Esperança sentada.
Não abdicação diante da vida.


A esperança
Nunca é a forma burguesa, sentada e tranqüila da espera.
Nunca é figura de mulher
Do quadro antigo.
Sentada, dando milho aos pombos.

Anônimo disse...

Faço minhas as palavras de Arsênio. Aliás as tenho dito de outra forma, que cada um de nós se enternece por alguém que sofre a sua maneira. E cada um a sua maneira tem tentado chegar junto de você. E lhe ajudar. Mas a vontade de viver deve superar a vontade de se auto-destruir. E para isso é preciso optar pela saúde. Com álcool em excesso não há cérebro que funcione bem, metabolismo que reaja bem.A depressão é filha dos nossos atos. Experimente para de beber, desintoxicar e tomar as medicações que irão ajudar a lhe tornar um cara sadio de novo. Remédios tem de ser utilizados sem vergonha. A gente enche o toitiço de cana, de pó, de mesclado e não tem vergonha. Mas fica grilado porque toma remédios controlados que nos salvam dos abismo. E aí fica vivo porra. Um abração brother. Na saída, na luz, no sol das manhãs estarei lhe esperando .

Izabella disse...

... experimente parar de beber..

Duda antes e agora.

Poeta Carlos Maia disse...

Pessoal:

Arsênio, Duda, Izabella.

Vocês só esqueceram de uma coisa:
a esperança já abandonou o barco em que estou. Não retiro uma palavra do que disse, apenas estou sendo extremamente sincero. Não é autopiedade, Arsênio, apesar de poder parecer, é apenas que a única coisa que eu desejo agora é a morte, mas não tenho pressa...

DUDA disse...

Dogma. Deseje a vida. Deseja vitalidade. Deseje uma mente sã. Um corpo são. Deseje um corpo e um sangue desintoxicados. A paz de verdade. As andadas na Jaqueira. As corridas. O sol na pele. As noites de lua. Os poemas todos escritos até hoje e tudo que pode ser escrito por muitos e muitos anos. Seus filhos.Sua família. Seus amigos. Deseje e terá. Mas faça a sua parte.
Duda

Poeta Carlos Maia disse...

Certo, Duda, eu vou tentar, cara.
Dia 17 deste mês estarei me internando em Caruaru para fazer um tratamento de um ano de duração.

Eu agradeço a Deus, Duda, pela sua vida na minha vida, tem sido uma luz no final do túnel sombrio da dor.

Obrigado, cara.

Luciana Cavalcanti disse...

CARLINHOS, QUE BOM QUE APESAR DE MINHA ENFERMIDADE EU PUDE ACESSAR A INTERNET E RE-LER TEU BLOG. ASSIM, POSSO TE FALAR DA MINHA VONTADE QUE VOCÊ PERMANEÇA VIVO, LINDO, SAUDÁVEL E ENCANTADO PELA VIDA ENTRE NÓS E A POESIA, NESTE CONVÍVIO MARAVILHOSO COM OS VERSOS E A BELEZA.
CARLINHOS: VOCÊ É MUITO IMPORTANTE PRA MIM...AMIGO DE MESMO, POETA DE CARNE, OSSOS E SANGUE PRESENTE EM MINHA VIDA... É O CARA QUE MAIS BELAMENTE DECLAMOU O AMOR DE MAIAKOVSKY EM MINHA PRESENÇA.
ENTÃO, RESSUSCITEMOS, CARA! E VAMOS VIVER O QUE NOS CABE!
QUERO TE DAR UM ABRAÇO ANTES DE VOCÊ IR PRO TRATAMENTO...
CUIDA DESTE CORAÇÃO LINDO, POETA!

XEROS

LUCIANA

Poeta Carlos Maia disse...

Lú, obrigado por suas palavras que eu recebo como um bálsamo no meu coração!
Beijo Grande!